A palavra Aura tem origem no grego aura que significa vento suave e gentil. Difundida principalmente pelo campo esotérico e holístico ela é considerada um elemento etéreo e imaterial. A Aura humana é o campo energético que envolve o nosso corpo. Um campo de radiação sutil e luminoso que nos rodeia e que se estende para fora da nossa forma física. A Aura está relacionada com o campo eletromagnético do corpo e, por sua vez, com os nossos estados mentais, emocionais, físicos e espirituais.

Para ajudar a criar uma ponte entre o mundo físico e o invisível novas tecnologias são desenvolvidas e cada vez mais experimentos científicos são realizados através delas. Nesses experimentos, deve-se presumir que o corpo humano e a consciência estão constantemente emitindo energia.

O trabalho desenvolvido pelo HeartMath, comprova isso através da observação do campo magnético do coração. Esse campo medido na forma de eletrocardiograma (ECG) envolve todas as células do corpo e se estende para o espaço ao nosso redor e pode ser detectado a até 3 pés de distância do corpo, em todas as direções, usando magnetômetros baseados em SQUID. Pesquisas realizadas na HMI sugerem que o campo do coração é um importante portador de informações e responsável pela comunicação biomagnética entre pessoas e até seus animais de estimação. A

As informações sobre o estado emocional de uma pessoa são codificadas no campo magnético do coração e comunicadas por todo o corpo e para o ambiente externo podendo ser detectadas por outras pessoas e processadas da mesma maneira que os sinais gerados internamente de forma inconsciente.

*Bioelectrografia,* efeito kirlian

Segundo registros  em 1904 no RS- Brasil o padre e cientista Roberto Landell de Moura inventou uma máquina que chamou de “Máquina de Eletrofotografia” na qual era possível registrar a aura luminosa que aparecia  envolvendo os seres vivos e a batizou de “Perianto”. Contudo, por pertencer à igreja católica romana e devido ao fato de que o “Perianto” poderia ser confundido com o “Perispírito”, de origem espírita, Landel foi combatido pela igreja e teve a sua máquina confiscada. Faleceu em 1928 sem receber qualquer reconhecimento ou apoio para as suas invenções, sendo taxado como louco.

Há registros que a bioelectrografia tenha sido descoberta no Brasil em 1907 pelo padre cujo devoção à ciência e suas ideias avançadas para seu tempo causaram algumas vezes o espanto e a revolta dos católicos. Neste ano escreveu um memorial descrevendo os efeitos eletro-luminescentes de um indeterminado campo energético que envolveria os seres vivos, registrando-os em filme fotográfico, fenômeno conhecido hoje como efeito Kirlian.

Trinta anos depois, em 1939, o russo Semyon Davidovich Kirlian, teria redescoberto a bioelectrografia por acidente tornando-o conhecido pelo feito. O princípio técnico consiste em aplicar um campo eléctrico de alta voltagem próximo da chapa fotográfica que, como resultado, provoca o aparecimento de uma luminescência radiante em redor do objeto fotografado.

Místicos do mundo inteiro passaram a relacionar as imagens kirlian com a aura.

O primeiro dispositivo digital Kirlian

Como professor de Ciência da Computação e Biofísica na Universidade de Tecnologias da Informação, Mecânica e Óptica de São Petersburgo, na Rússia, o Dr. Korotkov desenvolveu uma técnica para medir e quantificar a luz que é invisível ao olho humano. Ele e a sua equipe concluíram  que o halo luminoso que aparece em torno dos corpos, numa foto Kirlian, é a visualização da ionização dos gases e vapores (“Gás Discharge Visualization”)  

“Em 1995, nosso grupo desenvolveu uma câmera de visualização de descarga de gás (GDV) baseada em óptica, eletrônica e processamento de imagem modernos.”

Korotkov desenvolveu parâmetros matemáticos para analisar sua correlação com a energia e o funcionamento de várias partes do corpo.

O brilho eletrofotônico de pessoas, plantas, líquidos, pós, objetos inanimados é capturado por uma câmera de vídeo e traduzido em um modelo computadorizado que fornece medições em tempo real que podem ser aplicadas em muitos campos: medicina, psicologia, terapia de som, biofísica, genética, ciência forense, agricultura, ecologia e água. Assim Korotkov diz que descobriu que a compreensão da medicina tradicional chinesa sobre os canais de energia e os meridianos está correta.

Korotkov diz que nossa energia e consciência têm impacto sobre o meio ambiente. Ele também afirmou que tanto os seres humanos quanto os elementos encontrados na natureza têm seus próprios campos de energia e que essas energias podem interagir umas com as outras.

“Estamos a desenvolver a ideia de que a nossa consciência é parte do mundo material e que com ela podemos diretamente influenciar o mundo.” – Dr. Konstantin Korotkov

A aura de uma pessoa é fortalecida por sentimentos positivos como alegria, humor e amor, disse Korotkov. “Se as pessoas têm emoções negativas, como raiva ou inveja, isso enfraquece o campo de energia, fazendo-o encolher e às vezes até desaparecer”. Ele fotografou duas pessoas apaixonadas e descobriu que suas auras se entrelaçavam. Por outro lado, duas pessoas sem conexão emocional têm uma lacuna entre suas auras.

Korotkov e os seus pesquisadores afirmam, ainda, que esta tecnologia pode detectar campos energéticos anormais e pode, assim, facilitar o diagnóstico preventivo de várias doenças e outros desequilíbrios físicos e emocionais nas pessoas.

A aura não é um tema novo, sensitivos de percepção extra-sensorial já a descreveram e correlacionaram suas formas e cores a estados emocionais, mentais e até problemas físicos. Existem muitos livros e cursos sobre sistemas energéticos e como trabalhar com eles podem influenciar na saúde e bem-estar.

A Aura vem sendo usada há muito tempo por terapeutas holísticos para análise e tratamentos energéticos. São os resultados de tratamentos como acupuntura e reiki entre outros, que acabam fazendo muitas pessoas considerar a existência de sistemas energéticos como meridianos e a aura mesmo sem poder vê-los e buscar por uma terapia integrada.

Mas muitas trabalhos nessa área são invalidados por serem baseados em algo "invisível". Esses estudos podem tirar esses trabalhos terapêuticos do seu misticismo para coloca-los em um patamar de reconhecimento cientifico?

Talvez seja o cunho espiritual da aura que adicione uma dificuldade maior de aceitar esses efeitos como uma comprovação de sua existência no mundo cientifico. Do outro lado nem todos os místicos ou espiritualistas concordam com a abordagem de "aura" para fotos kirlian, talvez porque "gases" seja um conceito muito humanizado e simplificado para algo pra estes tão espiritual. Mas de fato tudo é energia em movimento. A aura pode ir muito além do que uma câmera GDV pode captar mas não significa que o que ela capta não faça parte dela.

Apesar de existir ainda alguma discussão em torno do real alcance da Bioelectrografia e da sua aplicação no diagnóstico médico ela é considerada um fato científico pela Academia de Ciências da Rússia e outros organismos internacionais, inclusive pela própria UNESCO/ONU, sendo recomendada nas instituições de saúde como instrumento auxiliar de diagnóstico oncológico e psicológico.

O fator de brilho da água

De acordo com o Dr. Korotkov, a água viva (também conhecida como 'água estruturada'), como é encontrada nos ambientes naturais mais puros, como uma cachoeira ou riacho na montanha, tem o brilho mais alto. “Quando tiramos água de uma fonte natural, essa força vital ou brilho diminuirá em um período de cerca de 60 horas. Então, se você engarrafar essa água, ela eventualmente morre. ”

“Ao examinar uma gota de Água Estruturada como é encontrada na Natureza, vemos o padrão dinâmico de energia da luz. Na água da torneira normal, o brilho é mais estático, enquanto a água destilada - que está completamente morta, apresenta-se como estática. ”

O cientista japonês Masaru Emoto demonstrou que a água é muito mais do que uma substância física e é capaz de receber informações de seu entorno e guardá-las. No nível quântico, a água carrega informações e energia que ultrapassam sua estrutura química.

O Dr. Gerald Pollack, professor de bioengenharia da Universidade de Washington, desenvolveu uma teoria da água considerada revolucionária sobre a quarta fase da água, a pesquisa acontece no Pollack Laboratories. A teoria é que as moléculas de água estruturadas mantidas dentro de nossas células podem ter um nível mais alto de cargas elétricas, em uma ordem específica que ajuda o funcionamento de nossas células. Quando as moléculas de água de nossas células estão “carregadas” de maneira ideal, isso impacta positivamente como os músculos e tecidos de todo o nosso corpo funcionam. A água em nossas células não é como a água em um copo. Na verdade, é bem organizado como um cristal. Como o gelo, ele exclui partículas e solutos à medida que se forma. O espaço formado é denominado zona de exclusão (EZ).

Experimentos também demonstraram que é possível estruturar a água e, portanto, elevar seu brilho energético ao passar água regular por um dispositivo estruturante que imitam o fluxo de água nos riachos das montanhas.

Com a tecnologia do Dr. Korotkov é possível testar o brilho dessa água em relação a água tratada, demonstrando a diferença de energia/luz superior presente na água estruturada. Depois que a água foi estruturada pelos dispositivos e testada com o GDV, houve uma diferença significativa entre a água original e a água estruturada.


O Centro de Tecnologia da Água (WTC) na Universidade Agrícola de Tamil Nadu realizou um estudo e avaliação do 'Desempenho da Água Estruturada no Crescimento, Rendimento e Qualidade do Algodão e Vegetais. Os resultados do estudo científico foram impressionantes:

No experimento de campo com algodão, o crescimento, os atributos de rendimento, o rendimento e a qualidade foram maiores com a aplicação de água 100% estruturada com o aumento do rendimento do algodão em caroço de 36,6% em relação à irrigação com água comum.

O trigo produziu safra de 355 kg com água convencional e 640 kg com água estruturada.

Uma colheita de abobrinha resultou em 1100 kg usando água comum, enquanto a água estruturada produziu 2250 kg com uma altura de planta de 25 polegadas e 35 polegadas, respectivamente.

Os tomates registram maior crescimento e produtividade com o aumento de 39,55% na produção de frutos em relação à irrigação com água comum.

A colheita de feijão por arbusto foi de 0,702 kg com água convencional e 1,458 kg com água estruturada.

E os pimentões verdes resultaram em 68,7 kg com água estruturada em comparação com apenas 38,5 kg com água convencional.

“Podemos afirmar com segurança que a vida biológica na Terra depende das propriedades anômalas da água que a diferenciam de todas as outras substâncias na Terra.” Dr. Konstantin Korotkov

O que acontece conosco e com nosso brilho se bebermos água estruturada? O pesquisador francês Guy Londechamp testou o antes e depois de mais de 100 pessoas com a tecnologia do gdv, e 80% dos participantes demonstraram um aumento em seus campos de energia depois de beber um único copo de água estruturada.

O Dr. Korotokov acredita que a consciência do fator de brilho pode ajudar as pessoas a alcançar a saúde e o bem-estar ao ver sua resposta a muitas situações da vida utilizando uma técnica de câmera GDV.

Muitos cientistas já foram desacreditados e considerados insanos ao longo dos séculos por defenderem ideias que só puderam ser comprovadas mais tarde com o desenvolvimento de novas tecnologias.

Os estudos de Korotkov sustentam conceitos da medicina tradicional do Oriente observados com ceticismo no Ocidentes. A continuidade de estudos como estes pode nos levar à um ponto que culmine na integração da ciência e espiritualidade em algum grau, ou desmistifique a última.


“Agora percebo que não é o milagre que cria o crente. Em vez disso, somos todos crentes. Acreditamos que a ilusão do mundo material é completamente real. Essa crença é nossa única prisão. Isso nos impede de fazer a viagem ao desconhecido. ” - Deepak Chopra

_

♾i

Para se aprofundar: