Arquétipo Cornucópia - Abundância infinita



A cornucópia é um símbolo da mitologia grega que representa a fertilidade e a abundância. É um chifre que funciona como uma espécie de fonte inesgotável de todos os bens necessários às expectativas humanas. 

Por isso nas imagens ela está sempre transbordando algo, para mostrar que a fonte é ilimitada.



Na mitologia greco-romana as origens da Cornucópia variam. 

Na mitologia grega consta que Almatéia (ninfa do Olimpo) alimentou Zeus com leite de cabra. Em troca desse favor, Zeus ofertou-lhe um chifre desse animal, que tinha o poder de dar à pessoa que o possuísse tudo o que desejasse. 



Outra lenda conta que a origem da cornucópia está ligada a Zeus/Júpiter, ter quebrado por acidente o chifre do bode místico durante um jogo. 

Como compensação, Zeus prometeu ao bode que o chifre jamais se esvaziaria dos frutos de seu desejo. Em outro mito, era o chifre do deus do rio Aqueloo, a quem Hércules lutou para ganhar a mão de Deianeira. 


Várias divindades gregas e romanas estavam associadas à cornucópia, incluindo Deméter, deusa da colheita; Eirene, deusa da paz e da primavera; Gaia, deusa da Terra; Abundantia, deusa da abundância; Annona, deusa do suprimento de grãos para Roma; Pluto, deus da riqueza e especialmente a deusa Fortuna – eram por vezes representadas com o chifre repleto de bens.




A palavra “cornucópia” vem do latim “cornu”, que significa chifre, e “copiae”, que significa abundância.

A cornucópia vibra na frequência da fartura, da opulência , da nutrição e da multiplicação.

Como um símbolo de fertilidade e abundância ela representa a colheita abundante - símbolo tradicional da colheita na cultura ocidental. 

Os alimentados usados na cornucópia também trazem essa frequência de prosperidade, como o milho, a uva, girassol, trigo, sementes e flores. 



A cornucópia é o símbolo mais utilizado para representar o equinócio de outono (no sabá Mabon), onde é cheio de frutas, grãos, moedas, folhas, castanhas, cartas de tarô, e diversos outros símbolos da fartura.

O próprio chifre é um símbolo fálico, representando o sagrado masculinoEnquanto o seu interior simboliza o útero - representado assim a Deusa e o sagrado feminino.  Assim ela Traz  a frequência de fertilidade e reprodução de maneira fluida. Feminino e masculino, yin e yang.

Frequentemente moedas de ouro e joias são representadas sendo derramadas do chifre o associando à frequência da riqueza financeira.


Indo um pouco mais além no Mundo dos Arquétipos 

A linguagem do inconsciente é simbólica por isso os arquétipos  passam reto pelo  crivo da mente racional  e atuam diretamente no campo inconsciente, individual e coletivo, influenciando e regendo comportamentos e instintos sem que percebamos.

Por isso é interessante aprender a usar esses arquétipos  de forma consciente e tirar o máximo de proveito da sua presença. Afinal eles são usados pela grande mídia para nos influenciar o tempo todo faz muito tempo.  

Quer se aprofundar no mundo dos arquétipos? Clique aqui ou na foto abaixo e assista uma aula.
https://go.hotmart.com/J60475312E





Postar um comentário

0 Comentários