Ticker

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Você Teme a Perda do Amor?

 


A fonte original desse temor inerente data, obviamente, do hábito poligâmico do homem, de roubar a companheira de seu semelhante e do hábito de tomar liberdades com ela, sempre que pode. Ciúme e outras formas similares de neurose originam-se do medo herdado da perda de amor. Esse é o mais doloroso dos seis temores básicos. Provavelmente produz mais destruição no corpo e no espírito que qualquer outro dos temores básicos. 

O medo da perda do amor possivelmente se origina da idade da pedra, quando os homens arrebatavam as mulheres pela força bruta. Continuam a roubar mulheres, mas a técnica mudou. Em vez de força, empregam agora a persuasão. Os hábitos do homem são os mesmos da aurora da civilização, só que são expressos de maneira diferente. Análise cuidadosa demonstrou que as mulheres são mais suscetíveis a esse temor que os homens. O fato se explica facilmente. As mulheres aprenderam, por experiência, que os homens são polígamos por natureza, que não se pode confiá-los às mãos de rivais. 

Três Sintomas que Demonstram Medo da Perda do Amor 

1. Ciúme: Hábito de suspeitar de amigos e de criaturas amadas, sem qualquer prova razoável, sem motivo suficiente; hábito de acusar a esposa ou o marido de infidelidade, sem motivo; suspeita geral, de todos, sem fé absoluta em ninguém. 

2. Encontrar defeitos: Hábito de encontrar defeitos em amigos, parentes, sócios comerciais e seres amados, à menor provocação, ou sem causa alguma.

3. Jogo: Hábito de jogar, furtar, enganar e aproveitando outras oportunidades perigosas para conseguir dinheiro para os seres amados, com a crença de que o amor pode ser comprado; hábito de gastar além dos meios ou incorrer em dívidas para dar presentes a quem se ama, com o intuito de causar impressão favorável; insônia nervosismo, falta de persistência, fraqueza de vontade, falta de autocontrole, falta de confiança em si mesmo, mau gênio. 


 Domine o medo da perda de amor, chegando à decisão de viver sem esse amor, se isso for necessário. Mate o hábito de preocupação, sob todos os aspectos, tomando a decisão geral, coletiva, de que nada que a vida tem  a oferecer vale o preço da preocupação. Com essa decisão virá o equilíbrio, paz de espírito e a tranquilidade de pensamento que trazem a felicidade. 


#trecho de livros com Pense e Henriqueça - Napoleon Hill

Para mais:

Postar um comentário

0 Comentários