Animal de Poder, Arquétipo e mitologia da Cobra; Cura, Sensualidade, Transformação e a Kundalini


O simbolismo e os significados da cobra incluem cura, sabedoria, energia primordial, sensualidade, sexualidade, proteção, conexão com a terra, furtividade, flexibilidade, adaptação charme, renascimento e eternidade.

Cobras vivem  em todos os continentes da Terra, exceto na Antártida. O animal espiritual da cobra também é um tema comum em muitas culturas. 

A ideia desse  Espírito animal serpenteando em nossa direção pode não parecer atraente, a princípio. Muitas pessoas têm aversão ou medo de cobras. No entanto, As sabedorias antigas ao  redor do mundo viam a cobra como um símbolo de vida, mudança e longevidade. 

Como elas trocam de pele simbolizam rejuvenescimento,  transformação e renascimento. 

A serpente  é associada a cura desde o tempo dos babilônios.  Na lenda do príncipe Gilgamés, transmitida pela escrita cuneiforme, a serpente, após comer a erva da vida despiu-se de sua pele envelhecida e se rejuvenesceu. Assim ela tornou-se o símbolo de vários deuses da cura nas culturas antigas 

Na cultura hebraica primitiva, as cobras eram símbolos de fertilidade, cura e adivinhação.

A Bíblia, no Quarto Livro de Moisés, 21:8, também se refere à serpente, relacionando-a com a cura: "Então", disse o Senhor a Moisés: "faze uma serpente de bronze e põe-na sobre a haste; e será que todo o mordido que olhar para ela vivera". Já no contexto de como a cobra  tenta Adão e Eva, é chamada de o princípio do Mal. 

No Livro do Êxodo , o cajado de Moisés se transforma em uma serpente. Estudiosos bíblicos supõem que porque a cobra era um símbolo da soberania dos faraós sobre o antigo Egito, Deus estava mostrando a Moisés que ele tinha uma soberania ainda maior do que a dos faraós.



Cobra como símbolo de Cura e Medicina


Os cajados de Asclépio e Hermes aparecem  como símbolos em certificados de doutorado, logotipos de companhias de seguros e em outros lugares.

Nos contos gregos, o símbolo de Asclépio, representado por um bastão com uma serpente em volta, e o símbolo de Hermes, chamado caduceu - um bastão com duas serpentes dispostas em espirais ascendentes, simétricas e opostas, e com duas asas na sua extremidade superior - são dois símbolos usados ​​em toda a medicina. Tanto Asclépio quanto Hermes eram deuses associados à cura.

Segundo a lenda, Asclépio aprendera a arte de curar com o centauro Quiron. Ele curava os doentes e até ressuscitava os mortos. Enciumado por estes triunfos e pela subversão da ordem natural das coisas, Zeus o matou com um raio e Asclépio, após sua morte, foi recebido como um deus. Esta é a origem na mitologia grega do deus da medicina, que era como Asclépio era cultuado por volta de 429 a.C., e representado por uma serpente. 

caduceu pertencia a Apolo que o deu a Mercúrio em troca da lira em uma das lendas gregas. Apolo é também considerado como deus da medicina pelos gregos e considerado o inventor da arte de curar.  O juramento de Hipócrates inicia com o juramento em nome de Apolo, "juro por Apolo, médico, Asklépios, Hegéia e Panacéia..." 

Além da Grécia antiga, outras culturas, incluindo as culturas celta, nórdica e hebraica, associavam cobras à cura e à medicina . 


Transformação, Renascimento e Renovação


Muitas culturas em todo o mundo associaram cobras com renascimento, renovação e  transformação porque elas trocam de pele várias vezes por ano.

As cobras mudam de pele à medida que crescem, então pergunte a si mesmo – o que você precisa se livrar para expandir? 

Assim, o espírito animal da cobra é um excelente símbolo para representar uma área de sua vida que você gostaria de entender melhor em um nível subconsciente e renovar. Isso pode incluir sua própria saúde mental ou física, um relacionamento, um empreendimento criativo ou um empreendimento comercial. Ela também é um guia para a renovação espiritual. 



Terra & Arquétipo de Fertilidade 


As cobras estão quase sempre em contato direto com o solo e algumas espécies até vivem em buracos no solo. Por causa disso, eles são símbolos da Terra em culturas nativas americanas e outras. 

A proximidade da cobra com as energias da terra representa a força vital, fertilidade, prosperidade e fecundidade.

Para os celtas a cobra se enterrou profundamente na terra, ela era vista como um poder feminino, pois a terra representa o útero do qual a vida surge.  



Sensualidade & Libido


A  Cobra é um símbolo fálico o que também representa fecundidade, sexualidade e sensualidade.  Para Sigmund Freud sonhar com cobra é ligado ao desejo sexual, devido a  essa representação do falo, símbolo masculino. 

Nas  religiões abraâmicas , a serpente representa  o desejo sexual Na cultura chinesa, além de ser símbolo de sabedoria e prudência, a cobra representa sensualidade e mistério. 

A serpente representa a libido, a força vital primordial, serpenteando até nós. Nossa força vital é nossa energia sexual é nossa criatividade.

A dança do ventre é uma dança antiga e sensual conhecida por seus movimentos serem semelhante a uma cobra em movimento. Na verdade, existem movimentos com nomes como “Braços de cobra”, e existe uma dança do ventre em particular onde a mulher  dança com uma cobra.

Flexibilidade & Adaptabilidade

Cobras são seres adaptáveis e flexíveis, essas características as fazem prosperar enquanto espécie. Elas não tem pernas para andar, rastejam pra se locomover e podem ser tão vagarosas quanto velozes, elas podem viver com a cara no chão mas se erguem em parte do corpo  numa postura desafiadora, elas deslizam na água, e também sobem nas árvores sem problemas. Elas dão um jeito de fazer o que precisam pra chegar aonde querem. 

Assim elas nos ensinam muito sobre nos adaptarmos as situações e as dificuldades. Se você quer  chegar ao topo você da um jeito de usar o que você tem pra isso. Mesmo quando parece que te falta justamente o mais necessário. 

Sabedoria


 As cobras são um daqueles animais raros que são encontrados tanto na terra quanto na água. Assim elas representam a capacidade da mente de se mover do consciente (terra) para o subconsciente (água) e vice-versa.

Nas culturas asiática e celta, as pessoas associam cobras a dragões, que possuem poderes místicosAlém disso, muitas culturas viam as cobras como seres antigos que possuíam conhecimento primordial.



Kundalini, Energia Primordial


As cobras também são símbolos da energia primordial , também conhecida como kundalini, que é uma antiga palavra sânscrita. Kundalini é uma forma de  energia espiritual divina que se origina na base da coluna vertebral. Acredita-se que esteja adormecida até que seja despertada por meio de práticas espirituais, como tantra, kundalini yoga e hatha yoga.

O símbolo da energia kundalini é uma cobra enrolada esperando para se desenrolar. À medida que os Chakras se tornam mais eficientes e movimentam a energia pelo corpo, a  Serpente  vai se desenrolando  e subindo pela espinha, o que promove  um processo de transformação drástico.

Nas tradições indianas, a kundalini é considerada uma forma poderosa de energia feminina, as cobras também são símbolos da energia masculina primitiva. Este centro de energia primordial em homens e mulheres está associado ao chakra raiz.

O Espírito Animal da Serpente abre os Chakras para que você possa entender e abraçar a sensualidade sagrada no corpo e no Espírito. Este caminho para a abertura energética é chamado de “Despertar da Kundalini”.


Proteção


Cobras e serpentes também são símbolos de proteção . Embora as cobras sejam consideradas animais assustadores para muitos, elas não são, de fato, agressivas por natureza. Isto é, a menos que você os encurrale ou os surpreenda. Assim, as cobras são símbolos muito poderosos para quem precisa fortalecer seus próprios limites. 



Furtividade & Estratégia


As cobras também são conhecidas por atacar suas presas mesmo antes que a presa esteja ciente de sua presença. Assim, as cobras são símbolos de eficiência furtiva. Enquanto uma cascavel pode avisá-lo de sua presença com um chocalho de sua cauda, ​​o que seria um cenário de sorte, a maioria das cobras fica em silêncio. 

Todos nós já ouvimos falar de uma pessoa sorrateira sendo descrita como “ uma cobra na grama ” - que rasteja silenciosamente.

Mas é importante perceber que discrição e sigilo nem sempre são negativos. Todos nós temos o direito de guardar segredos e aguardar a hora certa de agir e aparecer. Isso é estratégico!



Astúcia, Charme & Tentação


A maioria de nós está familiarizada com a história da Serpente no Éden, Adão, Eva e a maçã no livro de Gênesis.  

Adão e Eva estão no Jardim do Éden, e uma serpente convence Eva a comer o fruto proibido.

“Ora, a serpente era mais astuta do que qualquer outro animal do campo que o Senhor Deus havia feito. Ele disse à mulher: “Deus realmente disse: 'Você não deve comer de nenhuma árvore no jardim'?” E a mulher disse à serpente: Podemos comer do fruto das árvores do jardim, mas Deus disse: Não comerás do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem tocarás para que não morras.'” Mas a serpente disse à mulher: “Certamente não morrerás. Pois Deus sabe que, quando dele comerdes, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”. Gênesis 3:1-24

Assim, não é surpresa que as cobras sejam símbolos de tentação e charme, as impressões de cobras como sendo hipnoticamente encantadoras permaneceram.

De fato serpentes não tem pálpebras móveis. Ou seja, elas não piscam e com isso seu olhar fixo e constante leva a crer em um olhar hipnótico.  



Criação, Imortalidade, Eternidade


As cobras são vistas como um símbolo da imortalidade, pois as cobras foram observadas mordendo suas próprias caudas para formar um círculo. Um círculo ou uma espiral é um símbolo de imortalidade.

 O deus serpente Danh frim da cultura africana do Dahomeyan circunda a terra e a impede de desmoronar. Da mesma forma, o Jörmungandr da mitologia nórdica também circunda a terra. 

Da mesma forma, o Hindu Ananta é responsável por manter o mundo unido. Além disso, a Serpente Cósmica envolve um ovo como símbolo de fertilidade e renascimento. No Egito, o deus Ra e toda a criação se originaram da serpente de muitos enrolamentos chamada Amduat.

Espirais e o  padrão divino

As espirais são um padrão que se repete em toda a natureza, elas seguem o mesmo padrão da sequência numérica de Fibonacci, que começa com 0 e 1 e depois aumenta com a soma dos dois números anteriores, como 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21...De girassóis a furacões e galáxias, as espirais são representativas de uma origem que se expande a partir de uma única fonte e ganha poder.

Como as cobras podem se enrolar em um padrão espiral, acredita-se que elas estejam conectadas a esse padrão divino do Universo.

Por esta razão, as cobras podem simbolizar uma única ideia ou um movimento que começa com uma pessoa e se expande para fora, ganhando força e até mesmo mudando a sociedade e a cultura.

Ouroboros

As cobras estão perto do chão e trocam suas peles, tornando-as símbolos da terra nutritiva, do submundo, do renascimento, da imortalidade e da criatividade e da sabedoriaO ouroboros [grego, “comedor de cauda”], um ícone de uma serpente ou dragão comendo sua própria cauda, ​​originou-se no Egito e mais tarde foi transferido para os cultos de mistério gregos, gnosticismo e hermetismo. O ouroboros simboliza o círculo da vida, e talvez também a relação sexual , com a cauda representando o órgão masculino e a boca o feminino.



Cobra na Mitologia de diferentes Culturas

Existem mais de 3.000 espécies de cobras no mundo,  elas existem na Terra há mais de 160 milhões de anos. Assim cobras são temas de muitas histórias antigas, mas compartilham algumas associações:

  • No mito, as cobras são frequentemente ligadas a videntes e oráculos.
  • O veneno de cobra é tanto um veneno mortal quanto um antídoto.
  • As cobras estão perto do chão e trocam de pele, tornando-as símbolos do submundo, cura, renascimento e imortalidade e, por extensão, fertilidade e sabedoria.

Aqui estão alguns 
símbolos e significados de cobras e serpentes em algumas dessas culturas. 

CLIQUE AQUI E CONHEÇA O PODER DOS ARQUÉTIPOS 

Significados da cobra no antigo Egito


Os antigos egípcios também reverenciavam as cobras, especialmente a que adorna as coroas dos grandes faraós. Uraeus , a naja vertical estilizada usada como símbolo de soberania e autoridade divina. Este símbolo era comumente colocado na coroa de homens e mulheres egípcios da mais alta autoridade. 

O uraeus pode ser encontrada  em muitos artefatos antigos, como a máscara da múmia de Tutancâmon e o trono do faraó Tutancâmon.

Nesta cultura, a cobra representava soberania, autoridade divina, divindade e realezaOs faraós usavam o uraeus como símbolo de sua legitimidade para governar. Uma das primeiras deusas egípcias, Wadjet, é retratada como uma serpente e era considerada a protetora do baixo Egito e a padroeira do Delta do Nilo.

O Uraeus é um sinal de poder supremo. Além disso, o adereço de cabeça era usado apenas por aqueles que eram vistos como deuses na terra. Também tinha  o significado de  incorporar proteção sobre o reino.

Como símbolo da realeza, os deuses Hórus e Set são frequentemente retratados usando símbolos de cobra em suas coroas. A cobra também foi fortemente associada ao deus do sol Ra.

 As cobras também simbolizavam a vida eterna na cultura egípcia. Isso é demonstrado no símbolo ouroboros, que retrata uma serpente em um círculo mordendo sua cauda.

Os egípcios acreditavam que as cobras tinham propriedades curativas. Ao mesmo tempo, poderiam servir a outro propósito, como no caso de Cleópatra.

Oráculos Antigos

Os antigos levavam a adivinhação muito a sério. Os líderes consultariam um oráculo antes de qualquer empreendimento importante. 

A tradição oracular pode ter se originado com o oráculo da deusa egípcia Wadjet em Per-Wadjet (atual Desouk, perto de Alexandria). Wadjet foi descrita como uma cobra, geralmente uma cobra egípcia. Ou  retratada como uma cobra com cabeça de mulher, ou uma mulher com cabeça de cobra, ou duas cabeças de cobra. Ela amamentou o bebê Hórus e protegeu Rá enrolando-se em sua cabeça. As estatuetas da deusa serpente escavadas no palácio minoico de Cnossos podem ter sido conectadas a Wadjet, assim como o uraeus.


O simbolismo da cobra nas culturas africanas


As culturas antigas em todo o continente africano acreditavam que as cobras eram a encarnação de parentes que haviam falecido e, portanto, era um tabu matá-las.

De acordo com o povo Sankana do noroeste de Gana, diz-se que uma grande píton salva os ancestrais transformando-se em um tronco para levá-los através de um rio e longe do ataque de inimigos (ladrões de escravos). Portanto, a cobra é um símbolo de salvação da escravidão. Ainda hoje, as pessoas da comunidade Sankana reverenciam e protegem as pítons encontradas em sua comunidade.

Da mesma forma, entre o povo Igbo do sudeste da Nigéria, a cobra simboliza a terra, pois se enterra na terra e a atravessa. Por causa disso, as pítons são tratadas com cuidado mesmo entre os Igbos que são cristãos.  

Para o Povo Serer, que vem da área que hoje é o Senegal, as serpentes representavam o pangool, que eram espíritos ancestrais. De acordo com a tradição Serer, quando uma pessoa morre, ela deve primeiro reencarnar em uma cobra negra e se esconder por um tempo em uma árvore. Depois, eles podem seguir para Jaaniiw, o lugar para onde vão todas as boas almas. 

O povo Dogon do Mali também reverencia as cobras. Eles acreditam que uma grande serpente chamada Lebe guiou os Dogon Mandé até a Escarpa Bandiagara, para que pudessem escapar da perseguição. 

Várias outras culturas africanas também reverenciam as cobras como protetoras, portadoras de fertilidade e guardiãs da terra. O venerado espírito da água da África Ocidental Mami Wata é geralmente retratado segurando grandes cobras que representam divindade e adivinhação.


Cobra na Mitologia Grega


Em um mito grego, uma serpente gigante chamada Ofion incuba um ovo do qual nasce toda a criação. Na Grécia Antiga, as cobras eram principalmente um símbolo de boa sorteAlém disso, nossos ancestrais gregos costumavam criar vários artefatos como cobras como forma de afastar o mal.

As cobras também eram símbolos de cura na Grécia antiga, como observado anteriormente. Asclepius, que era o deus da medicina, carregava um cajado com cobras enroladas em torno dela. Assim como o deus Hermes, que era a divindade da sorte, fertilidade e comércio.


A lenda da Vidente Tirésias na mitologia grega

Tirésias é o vidente mais notório da mitologia grega. Quando jovem, ele encontrou um par de serpentes acopladas no Monte Citaeron e, com desgosto, as atingiu com seu cajado. Isso ofendeu a deusa Hera, que o transformou em mulher. Teiresias passou os sete anos seguintes como sacerdotisa de Hera, e até se casou e teve filhos nessa época. Depois de sete anos como mulher, Teiresias mais uma vez se deparou com um par de serpentes acopladas, mas, desta vez, deu-lhes um amplo espaço. Como resultado, Hera o libertou de sua sentença.

Mais tarde, Zeus e Hera arrastaram Tirésias para uma discussão sobre quem tem mais prazer no sexo: a mulher, como afirmou Zeus; ou homem, como Hera afirmou. Teiresias afirmou que, “De dez partes, um homem desfruta de apenas uma”. Por isso, Hera o deixou cego, mas Zeus o compensou com o dom da previsão e uma vida útil de sete gerações.

Cobras e serpentes nem sempre tiveram significados positivos na Grécia antiga, também eram fontes de terror. 





No mito grego sobre as Górgonas, que eram monstros horríveis, havia uma irmã que na verdade era uma bela mortal chamada Medusa. Mas quando Medusa teve um caso de amor com Poseidon, ela ganhou a ira de Atena, que a puniu transformando-a em um monstro hediondo com cobras no cabelo. Curiosamente, um dos significados do nome Medusa no grego antigo era “guardião”. Assim, neste mito, as cobras ainda estavam adequadamente em seu papel protetor. 

O mito da Medusa, assim como diversos mitos da mitologia grega, tinha diferentes versões.

Simbolismo celta da cobra

O povo celta via Cobra mais como uma energia ou símbolo arquetípico do que como o animal real. 

Os celtas consideravam a serpente como um símbolo de cura, sabedoria, transformação e renascimento. Isso se deve à natureza recorrente do processo de troca de pele onde a cobra é curada, transformada e renasce.

Os celtas acreditavam que as cobras e serpentes se originavam de baixo da Terra e, portanto, conheciam intimamente os segredos do mundo e possuíam sabedoria universal.

Porque os olhos de uma Serpente “brilham” quando trocam de pele, a Serpente Celta se tornou um símbolo de estados alterados e acredita-se que enquanto nesse estado as Serpentes estão explorando todo o conhecimento que já existiu ou existirá.

Embora não houvesse cobras reais na Irlanda, há muitas associações entre cobra e  serpentes marinhas ou dragões no folclore celta, elas também são associadas a tesouros.  O dragão morto por Perseu era uma besta da água e na literatura celta, diz-se que São Patrício expulsou todas as cobras da Irlanda.

Além disso, porque a cobra  se enterra profundamente na terra, ela era vista como um poder feminino, pois a terra representa o útero do qual a vida surge. A estreita relação da cobra com a terra a tornou um símbolo de fertilidade.  

Da mesma forma, porque a cobra é uma caçadora de sucesso, ela passou a representar a masculinidade entre os celtas. O deus celta, Cernunnos, geralmente é retratado segurando uma cobra.


Cobras em lendas nórdicas

A mitologia nórdica também incorpora serpentes como Jörmungandr, que é uma serpente gigante que guarda Midgard, o reino da humanidade. Esta serpente protege Midgard - a Terra. O Jörmungandr também é um ouroboros, que é um símbolo de uma serpente comendo sua própria cauda.

Diz a lenda que o deus nórdico Loki teve três filhos, a deusa Hel, o lobo Fenrir e a serpente Jörmungandr.

Odin e os outros deuses temiam essas crianças, então Odin jogou Hel em Niflheim, que era a névoa, jogou Jörmungandr no mar. Jörmungandr cresce tanto que logo é capaz de cercar a Terra e agarrar sua própria cauda.

Assim, o símbolo ouroboros é comumente visto em artefatos nórdicos como nos do antigo Egito. Por fim Fenrir acaba matando Odin.


Cobra na Índia e no Hinduísmo


Na Índia, as cobras são altamente consideradas e em alguns lugares são adoradas como deuses. E nenhuma cobra é tão reverenciada quanto a cobra, que é frequentemente retratada enrolada no pescoço dos deuses Shiva e Vishnu.

Como mencionado anteriormente, na Índia, as cobras simbolizam o despertar da energia divina da kundalini. Acredita-se que se você sonhar com uma cobra, é um sinal de que sua kundalini foi despertada. De fato, na cultura hindu, as cobras simbolizam a morte e o renascimento, e são símbolos de fertilidade.


Existem mais de 33 milhões de deuses no hinduísmo. Então, é claro, existe uma deusa das cobras. O nome dela é Manasa DeviAs pessoas rezam para Manasa Devi por prosperidade, fertilidade e para curar picadas de cobra .

De acordo com a mitologia hindu, a serpente Shesha apoia o Senhor Vishnu enquanto ele dorme e flutua nas águas cósmicas. A grande Shesha sustenta os planetas.

As mulheres do sul da Índia se reúnem em templos hindus para adorar as Nagas - nagas são uma raça divina de serpentes humanoides, isso significa que, seus corpos possuem partes de humanos e partes de cobraNos templos, os Nagas assumem a forma de cobras esculpidas em pedras. Acredita-se que essas deusas tornam as mulheres férteis, protegem as mulheres e sua família e trazem prosperidade. 

Os hindus em Tamil Nadu acreditam que uma pessoa que ferir ou matar uma cobra será infligida com uma condição conhecida como nāga dösam, que causa infertilidade e atrasos no casamento. Naga dosam só pode ser revertido através de vários graus de adoração a naga.

Simbolismo da cobra no Japão

Na cultura japonesa, as cobras estão associadas aos cursos da água , incluindo rios e mar. Os japoneses também os associam à juventude eterna porque perdem e regeneram a pele. As cobras também são vistas como seres tenazes porque podem se encaixar em áreas onde os seres humanos não podem.

Assim como em outras culturas, os japoneses veem as cobras como guardiãs e protetoras . Eles também associam cobras a dragões, que estão associados a tesouros e riquezas.

Um conto popular japonês conta a história de uma mulher cobra que vive em um palácio no fundo do mar. Acreditava-se que qualquer homem que se aventurasse no fundo do mar para conhecê-la poderia conquistá-la e se casar com ela. Por sua vez, ela concederia grande riqueza a ele quando ele voltasse ao mundo real. No entanto, muitos homens estavam compreensivelmente com medo de fazer tal viagem.

No budismo

No budismo, as cobras simbolizam proteção . Em uma história, Buda está meditando sob a Árvore Bodhi. Ele está tão mergulhado em meditação que não percebe o céu escurecendo e uma tempestade chegando. Sem o conhecimento de Buda, uma serpente gigante parecida com uma cobra chamada Mucalinda surge das raízes da Árvore Bodhi e protege Buda da tempestade com sua enorme cabeça queimada. 



Simbolismo da cobra na China

Na cultura chinesa, a cobra era uma divindade criadora . A deusa Nüwa era parte humana e parte serpente e acreditava-se que ela criou os primeiros humanos de barro.

As cobras também são símbolos de sabedoria e estão intimamente associadas ao dragão todo-poderoso, como estão no Japão.

Os chineses celebram o Ano da Serpente a cada 12 anos. Aqueles nascidos no Ano da Serpente são considerados indivíduos altamente intuitivos que seguem seus próprios instintos enquanto se preparam para atingir seus objetivos.

Serpente em Astrologia e Signos do Zodíaco

No Zodíaco Animal Chinês, a Serpente é como um irmãozinho ou primo do Dragão. Simboliza o trabalho com ervas, perspicácia e astúcia. Quando chega o festival da primavera, não é incomum ver uma cobra em volta de um coelho na casa e nos negócios das pessoas como um amuleto para a prosperidade.
As pessoas nascidas sob o signo da Serpente têm charme, sabedoria e uma conversa inteligente. Se este é o seu sinal, você provavelmente é bom com finanças, tem uma grande empatia pelos outros e uma motivação séria para o sucesso. No lado negativo, as pessoas da Serpente podem ser invejosas, desconfiadas e um pouco arrogantes. 


O simbolismo da cobra na Cultura Asteca e Maia

A Serpente Emplumada, um ser sobrenatural proeminente encontrado em várias culturas mesoamericanas, está associada ao amanhecer, ao vento e ao planeta Vênus.

Nas culturas mesoamericanas maia e asteca, as cobras eram vistas com medo e admiração. Eles também eram símbolos de divindade, renascimento e poder espiritualDe fato, o quinto dia da semana nos calendários maia e asteca era conhecido como Dia da Serpente.

Várias divindades astecas e maias estavam associadas a cobras e tinham qualidades semelhantes a serpentes. A Serpente Emplumada é referida como a divindade Kukulkan na cultura maia e a divindade Quetzalcoatl na cultura asteca e é importante nas histórias de origem de ambas as culturas.

 A Serpente Emplumada também é a patrona do artesanato, das artes, do sacerdócio e do comércio. Ele também era o deus da estrela da tarde que trouxe milho, livros e o calendário para a humanidade. Além disso, cobras adornam os templos de Chichen Itza e Tenochtitlan.

CLIQUE AQUI E CONHEÇA O PODER DOS ARQUÉTIPOS 


A serpente do arco-íris na cultura aborígine australiana 

Para os aborígenes australianos, a cobra era um ser muito poderoso . Os aborígenes têm uma história de criação sobre uma Serpente Arco-ÍrisA Serpente Arco-Íris era uma protetora e provedora de vida porque trazia água para as pessoas. Assim, para os aborígenes, a Serpente Arco-Íris está associada à fertilidade, à abundância de plantas e animais e à disponibilidade de alimentos.


O simbolismo da cobra na cultura nativa americana

Símbolos de cobras têm significados diferentes entre as diferentes tribos norte-americanas.  Aqui estão alguns exemplos:

De acordo com a tribo Pueblo, as cobras simbolizam fertilidade, renascimento e cura. Esse simbolismo é compartilhado em muitas culturas ao redor do mundo, já que muitas espécies de cobras se enterram na terra e as cobras trocam sua pele velha. De fato, os Pueblo falam de um poderoso espírito chamado Avanyu, que é retratado como uma serpente com chifres ou plumas. Avanyu é responsável por trazer raios e trovoadas e é o guardião da água. E, como os antigos gregos, o povo Ojibwa via as cobras como curandeiras e símbolos de renascimento .

Para os Hopi, a cobra está associada à Mãe Terra . Ressaltando a visão de que todos os seres vivos estão intrinsecamente ligados à Terra, os Hopi veem as cobras como os cordões umbilicais que conectam os seres humanos à Terra. Os Hopi também têm histórias de criação sobre serpentes aladas que uma vez reinaram sobre a Terra, que soa estranhamente semelhante aos dinossauros.

O Clã Serpente de Hopi tinha a cobra d'água como seu emblema e as imagens dela são encontradas em muitas rochas. Muitas tribos realizavam o Ritual da Serpente, pois acreditava-se que protegia a tribo em suas caminhadas e caçadas.

Nas lendas Lakota Sioux e Blackfoot, as cobras eram muitas vezes vistas de forma negativa. Uma história conta a história de uma grande serpente com longas presas chamada Unhcegila. Esta serpente gigante era frequentemente a culpada quando as pessoas desapareciam ou morriam. Acreditava-se que Unhcegila emite lodo que faria com que a carne apodrecesse e a Terra se tornasse infértil. 

Entre as tribos Anishinabe supunha-se que uma pessoa que foi mordida por uma cobra quebrou um tabu ou se comportou de alguma outra maneira que era inaceitável. 

Os Cherokee também reverenciavam e temiam cobras, associando-as com grande poder. Era importante nunca ofender as cobras, e isso incluía não matá-las e dar-lhes muito espaço. Para os Cherokee, a cascavel era a principal de todas as cobras. De acordo com uma lenda Cherokee, a cascavel já foi um homem que se transformou na forma de uma cobra para salvar os seres humanos de serem destruídos pelo sol. o chocalho da cascavel era considerado um ornamento do deus do trovão

Os navajos acreditavam que a cobra branca representa o amanhecer ou o leste, a cobra amarela representa o crepúsculo ou o oeste, a cobra preta, que encarna a escuridão representa o norte, e o céu azul encarna o céu e, portanto, o sul. 




Animal de Poder; Cobra

A Serpente é um aliado para transformação e mudança. Poucas criaturas incorporam o processo de transformação espiritual tão bem quanto a cobra, que precisa trocar de pele repetidamente para poder crescer.

As cobras são curativas e regeneradoras. À medida que envelhecemos, devemos nos livrar do indesejado, desnecessário, velho e morto para que haja uma chance de novo, jovem e fresco. Então do que você precisa se despir para crescer? Isso pode ser espiritual, emocional, ou financeiramente. 

Uma cobra também é um poderoso curador e um símbolo de morte e renascimento. Sua medicina funciona através da sexualidade, da reprodução, da alquimia e também da aceitação da mudança. 

A energia da Serpente abre os Chakras, particularmente o Chakra Base, para que você possa entender e abraçar a sensualidade sagrada no corpo e no Espírito. Este caminho para a abertura energética é chamado de “Despertar da Kundalini”.

Os Despertares da Kundalini são descritos como poderosas experiências transformadoras. Os Chakras são ativados intencionalmente, usando uma combinação de técnicas de Yoga e respiração. À medida que os Chakras se tornam mais eficientes e movimentam a energia pelo corpo, a imagem de uma Serpente desenrolando seu corpo e subindo pela espinha ajuda a promover esse dramático processo de transformação.

A cobra carrega consigo o poder da água e os xamãs sempre meditam no animal de poder da cobra para evitar secas. Ao mesmo tempo a Serpente rasteja de barriga, está muito perto da Mãe Terra. Todo o seu corpo está em constante comunhão com a terra. 



Animal Espiritual Cobra

Uma cobra é um protetor, um símbolo de feminilidade e está intimamente associada à jornada da alma em direção à autorrealização. 

Um animal espiritual de cobra pode ser seu guia, mentor, guardião e curador. É um poder que unifica, cura, harmoniza, integra e transforma. O Animal Espiritual que o guia através de certos eventos em sua vida, geralmente opta por caminhar com você por um período limitado de tempo, até que você aprenda sua lição ou supere o problema. 

Se a Cobra escolhe acompanhá-lo, está lembrando você de curar e deixar o passado para trás, para começar a viver no presente. 



Animal Totem Cobra


Seu Animal Totem representa qualidades, habilidades, características que você possui atualmente ou que está em processo de desenvolvimento. 

A cobra como Animal Totem indica que você é alguém que se adapta facilmente em qualquer tipo de situação. Com seu charme e postura, você pode realmente manter a atenção de um grupo e não deve ter dificuldade de convencer alguém das suas ideias.

Você se ajusta bem as mudanças, e parece encontrar um campo fértil para crescer financeira e profissionalmente através dos problemas. 


Características chave do arquétipo Cobra

  • Criador e Destruidor
  • Sair de uma situação
  • Adaptar-se facilmente
  • Transformação
  • Renascimento
  • Indo na onda
  • Regeneração
  • Recuperação rápida
  • Mudanças
  • Charme
  • Fertilidade
  • Convencer
  • Influenciar
  • Libido
  • Sensualidade
  • Sexualidade
  • Energia sexual
  • Sabedoria
  • Fecundidade
  • Infinito
  • Estratégia

Indo um pouco mais além no Mundo dos Arquétipos 

Os arquétipos são responsáveis por reger e organizar o mundo, a mente e também os comportamentos dos seres.

Para isso, ele atua poderosamente no que chamamos de inconsciente coletivo, trazendo transformações reais para a nossa vida.

Sendo assim, se você deseja mudar a sua frequência e se beneficiar da energia dos arquétipos, recomendamos que você conheça nosso treinamento O Poder dos Arquétipos.




Postar um comentário

0 Comentários