Faça um inventário de si mesmo, procurando algum remanescente de medo em seu caminho. Pense e Enriqueça – porque nada, absolutamente nada, pode atrapalhá-lo. 

 ANTES QUE VOCÊ possa por qualquer parte dessa filosofia em uso, com êxito, sua mente deve estar preparada para recebê-la. A preparação não é difícil. Começa com o estudo, a análise e a compreensão dos três inimigos que terá de destronar: indecisão, dúvida e medo.

Os membros do trio maldito são intimamente ligados; onde se encontra um, os outros dois estão à mão. Indecisão é a semente do medo! Lembre-se disso enquanto lê. A indecisão se cristaliza na dúvida, as duas se misturam e se tornam medo! O processo de mistura muitas vezes é lento. Essa é uma das razões que tornam os três inimigos tão perigosos. Germinam e crescem sem que sua presença seja observada.

Medo É Apenas Estado de Espírito. Há seis temores básicos, de cujas combinações todo o ser humano sofre, numa época ou outra. São felizes os que não sofrem dos seis ao mesmo tempo. Enumerados na ordem de sua aparição mais comum, são eles: Pobreza, Crítica, Saúde precária, Amor perdido, Velhice e Morte.  Os três primeiros estão no fundo da maioria das nossas preocupações. Os outros são de menor importância; podem ser agrupados sob esses seis títulos.

Analise Seus Temores 

  •  1. Medo de pobreza é estado de espírito. Nada mais! Mas é o suficiente para destruir as oportunidades de realização em qualquer empresa. Esse medo paralisa a faculdade do raciocínio, destrói a faculdade da imaginação, mata a autoconfiança, solapa o entusiasmo, desanima a iniciativa, leva à incerteza de propósito. Encoraja a procrastinação e torna o autocontrole impossível. Tira o encanto da personalidade, destrói a possibilidade de pensar com clareza, desvia a concentração de esforço; domina a persistência, transforma a força de vontade em vazio, destrói a ambição, anuvia a memória e convida o fracasso de todas as maneiras concebíveis; mata o amor e assassina as mais puras emoções do coração, desanima a amizade e convida o desastre de mil maneiras; leva à insônia, infelicidade e miséria – e tudo isso, apesar da verdade óbvia de que vivemos num mundo de superabundância de tudo o que o coração possa desejar, sem nada entre nós e nosso desejo, exceto a falta de um propósito definido. Seis Sintomas que Demonstram Medo da Pobreza
  • 2.Você Teme as Críticas? Exatamente de que modo o homem chegou a esse temor, ninguém o sabe com certeza – mas uma coisa é certa: ele o tem de maneira bastante desenvolvida. O medo à crítica rouba a iniciativa ao homem, destrói o poder de imaginação, limita a individualidade, tira-lhe a autoconfiança, causando-lhe danos em centenas de outras maneiras.  Sete Sintomas que Demonstram Medo à Crítica 

  • 3.Você Teme a Saúde Deficiente? Esse medo tem suas raízes na hereditariedade, tanto física, como mental. Está intimamente associado. Em sua origem, as causas do medo da velhice e da morte, porque conduz as fronteiras de “mundos terríveis”, dos quais o homem nada sabe, mas dos quais ouviu histórias desconcertantes. Sete Sintomas que Demonstram Medo de Doença

  • 4.Você Teme a Perda do Amor? A fonte original desse temor inerente data, obviamente, do hábito poligâmico do homem, de roubar a companheira de seu semelhante e do hábito de tomar liberdades com ela, sempre que pode. Ciúme e outras formas similares de neurose originam-se do medo herdado da perda de amor. Esse é o mais doloroso dos seis temores básicos. Provavelmente produz mais destruição no corpo e no espírito que qualquer outro dos temores básicos. Três Sintomas que Demonstram Medo da Perda do Amor 

  •  5.Você Teme a Velhice? De modo geral, esse temor provém de duas fontes. Em primeiro lugar está o pensamento de que a velhice pode trazer pobreza. Em segundo lugar, e muito mais comum,  originada dos quadros terríveis do que seu espírito guarda do mundo do além. Quatro Sintomas que Demonstram Medo da Velhice 

  • 6. Você teme a morte? Para alguns esse é o temor básico mais cruel. A razão é óbvia. A terrível angústia do medo, ligado ao pensamento da morte, pode ser atribuído, em muitos casos, a fanatismo religioso. Os supostos “pagãos” temem menos a morte que os “civilizados”. Durante milhares de anos o homem continua fazendo as perguntas não respondidas: “De onde?” e “Para onde?”. “De onde venho e para onde vou?” Três Sintomas que Demonstram Medo da Morte 

 Você É Suscetível Demais? Somado aos Seis Temores Básicos, existe outro mal de que sofrem as pessoas. Constitui solo rico, em que as sementes do fracasso crescem em abundância. É tão sútil, que sua presença muitas vezes nem e notada. Essa atribulação não pode ser chamada, com propriedade, de temor. Está mais arraigada e é mais frequentemente fatal que todos os seis temores juntos. Por falta de um nome melhor, chamemos o mal de suscetibilidade a influências negativas

 Se você está estudando esta filosofia com o intuito de acumular riquezas, examine-se com cuidado, para determinar se é suscetível a influências negativas. Se negligenciar essa autoanálise, perderá o direito de alcançar o objeto de seus desejos. Faça uma análise perscrutadora. Depois de ler as perguntas preparadas para a autoanálise, atenha-se a um balanço estrito, nas respostas. Enfrente a tarefa com o mesmo cuidado com que vasculharia a presença de outro inimigo, que o estivesse esperando numa armadilha e saiba lidar com as próprias falhas como o faria com um inimigo mais tangível. 

Para proteger-se contra influências negativas, sejam de sua própria criação ou resultado de atividades de outras pessoas, que o cercam, reconheça que possui força de vontade, colocando-o em uso constante até formar um muro de imunidade contra influências de sua mente. 

 Reconheça o fato de que você e todo o ser humano são, por natureza, preguiçosos, indiferentes e suscetíveis às sugestões que se harmonizem com suas fraquezas. Reconheça que você é suscetível, por natureza, aos seis temores básicos, adquirindo hábitos que combatam tais temores. 

 Reconheça que influências negativas muitas vezes se exercem sobre seu subconsciente, o que torna difícil captá-las e conserve a mente fechada contra as pessoas que o deprimem ou desanimam de algum modo. Falta uma limpeza no armário de remédios, e pare de alcovitar resfriados, dores e doenças imaginárias. Procure, deliberadamente, a companhia de gente que a influencie a pensar e agir por si. Não espere aborrecimentos, pois eles têm o costume de não desapontá-lo.

Preocupação É Medo 

A preocupação é um estado de espírito, baseado no medo. Age com lentidão, mas persistentemente. É insidiosa e sutil. Passo a passo ela se infiltra, até paralisar a faculdade de raciocínio, destruindo a autoconfiança e a iniciativa. Preocupação é uma forma de medo admitido, causado pela indecisão: portanto, é um estado de espírito controlável. 

Mente alterada é mente inútil. A indecisão altera a mente. A maioria das pessoas não possui o poder de chegar às decisões com rapidez, sustentando-as depois de tornadas. 

 A decisão traz resignação ao seu destino quando inalterável! A decisão pode também impedir a aceitação de circunstâncias indesejáveis. 

Os seis temores básicos se traduzem num estado de preocupação, através da indecisão. Mate o hábito de preocupação, sob todos os aspectos, tomando a decisão geral, coletiva, de que nada que a vida tem  a oferecer vale o preço da preocupação. Com essa decisão virá o equilíbrio, paz de espírito e a tranquilidade de pensamento que trazem a felicidade. 

O que você procura na vida, presumivelmente, é alcançar sucesso. Para ser bem sucedido é preciso encontrar paz de espírito, satisfazer as necessidades materiais da vida e, acima de tudo, atingir a felicidade Todas essas evidências de sucesso começam em forma de impulsos de pensamento. 

Você pode controlar a mente, tem o poder de fornecer-lhe os impulsos de pensamento que escolher. Com esse privilégio vai também a responsabilidade de usá-lo de maneira construtiva. Você é o senhor de seu destino terreno, do mesmo modo que possui o poder de controlar seu ambiente, tornando sua vida o que deseja que ela seja – ou pode deixar de exercer o privilégio que lhe pertence, de fazer sua vida de encomenda, jogando-se assim ao alto mar das “circunstâncias”, onde será balançado para cá e para lá, qual casquinha nas ondas do oceano.


#trecho de livros com Pense e Henriqueça - Napoleon Hill

Para mais: